Volta Redonda contra o cerol e linha chilena

 Volta Redonda contra o cerol e linha chilena

Prefeitura cria ação de conscientização pelo uso da linha branca nas pipas tem apoio da Guarda Municipal

 

O uso de cerol e da linha chilena para soltar pipas é proibido pelas Leis Estadual nº 7784 de novembro de 2017 e Municipal nº 5382 de agosto de 2017. Por isso, Volta Redonda desenvolve ações de conscientização e fiscalização entre os adeptos desta prática, que se reúnem nesta época do ano nas proximidades da Radial Leste e Aero Clube, nas tardes de domingo.

 

Todos os anos, os ventos de junho abrem a temporada de pipas que se estende até agosto. Com as férias escolares, em julho é ainda mais intenso o fluxo de crianças, jovens e adultos que fazem da brincadeira um momento de descontração. Porém, a diversão pode acabar em tragédia se não forem tomados os devidos cuidados.

 

A situação mais recorrente e preocupante é o uso da linha de cerol – nome atribuído a uma mistura de cola com vidro moído, que é aplicado em linhas de pipas e da linha chilena, encerada com quartzo moído, algodão e óxido de alumínio.

 

E para conscientizar as pessoas que ocupam os campos do Aero Clube nas tarde de domingo, o principal foco da campanha lançada pela prefeitura de Volta Redonda é: “Cerol – corte essa ideia”.

 

O comandante da Guarda Municipal, Paulo Henrique Dalboni, explica que desde a última semana a corporação atua no local, com seis viaturas e cerca de 25 agentes, em duas frentes. “A primeira medida é retirar os ‘pipeiros’ de dentro dos campos, que são exclusivos para prática esportiva e a segunda é incentivar os pais, os adolescentes e as crianças a usarem a linha branca para soltar pipa”, disse.

 

Ele lembrou que aos domingos, a Radial Leste fica fechada para o trânsito com o projeto Rua de Lazer, das 8h às 18h. “As pessoas são aconselhadas a soltar pipas em parte da via por questão de segurança. E, principalmente, sem cerol ou linha chilena, que é crime”, acrescentou.

 

Outros cuidados básicos para soltar pipa com segurança são: não soltar pipas em dias de chuva, principalmente se houver relâmpagos; evitar brincar perto de antenas, fios telefônicos ou cabos elétricos; procurar locais abertos como praças e parques; não fazer pipas com papel laminado, pois o risco de choque elétrico é grande; cuidado com ruas e lugares movimentados, principalmente quando andar para trás, há risco de atropelamento; e se a pipa enroscar em fios, não tente tirá-la.

 

Para evitar acidentes na temporada de pipas em Volta Redonda, além da conscientização imediata da Guarda Municipal, será implantada uma campanha educativa nas escolas quando retornar o período letivo. Ainda estão previstas fiscalização da Secretaria Municipal de Fazenda para coibir a venda de pipas com linhas de cerol ou chilena no entorno dos campos do Aero Clube e ações das secretarias de Esporte e Lazer e de Cultura que irão promover atividades aos domingos que envolvessem esse público. 

 

As medidas para fiscalizar a atividade no Aero Clube seguem orientação do prefeito Samuca Silva. “Soltar pipas é aparentemente lazer inofensivo, mas pode causar acidentes quando exercido de maneira irresponsável. As linhas com cerol podem ferir motociclistas, ciclistas e corredores. Além disso, o fato de correr atrás das pipas pode causar atropelamentos, choques elétricos, quedas de telhados e outros acidentes”, falou o prefeito, lembrando que é papel do poder público zelar pela segurança da população.

 

Por Renata Borges – Secom/VR

Prefeitura Municipal de Volta Redonda | Praça Sávio Gama, nº 53 - Aterrado | CEP: 27215-620 | Tel: (24) 3345-4444