Instalação de novas câmeras de segurança e o combate às motos barulhentas foram abordados com representantes da Aciap, CDL e Sicomércio

A Prefeitura de Volta Redonda, por meio da Secretaria Municipal de Ordem Pública (Semop), quer atuar em parceria com diversos segmentos no município. As primeiras conversas para alcançar este objetivo foram com entidades ligadas ao comércio, no início desta semana. O secretário municipal de Ordem Pública, Luiz Henrique Monteiro Barbosa, esteve com representantes da Aciap (Associação Comercial, Industrial e Agropastoril), da Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL) e do Sindicato do Comércio Varejista (Sicomércio).

A agenda de reuniões começou com o presidente da Aciap-VR, Luiz Fernando Soares Cardoso, e o empresário Mário Lúcio de Souza, na sede da entidade, no Aterrado. “O objetivo é entender as demandas do município e trabalhar em parceria com essa importante parcela da nossa sociedade”, afirmou Luiz Henrique.

No mesmo dia, os encontros foram com o presidente da CDL, Gilson Ferreira de Castro, e com a gerente executiva do Sicomércio, Rosemeri Dalboni de Carvalho. A pauta da conversa incluiu a instalação de cerca de mil novas câmeras de monitoramento em Volta Redonda. Notícia muito bem recebida pelos empresários.

“Estamos passando as fibras óticas necessárias e pretendemos fazer um cinturão na cidade alcançando todas as entradas e saídas do município. Além disso, as câmeras vão nos permitir acompanhar o percurso de cada veículo, através de leitura de placa, por exemplo”, explicou o secretário, acrescentando que sua equipe também vai agir preventivamente e no flagrante do crime. “Pois, com o sistema, conseguimos agir de forma rápida”, ressaltou.

Henrique lembrou ainda que hoje, em Volta Redonda, há um clamor público para reprimir os motociclistas que circulam sem o silencioso do escapamento. Ele aproveitou a ocasião para fazer um pedido aos presidentes das entidades que observem e coíbam a prática quando contratarem motoboys para o sistema delivery, que aumentou significativamente na pandemia.

“É preciso que o comerciante, antes de contratar um motociclista para fazer as entregas de seu negócio, verifique as condições do veículo, evitando aqueles que não apresentarem condições legais, também em relação à documentação do veículo e condutor”, sugeriu o secretário. Ele acredita que o serviço feito por motos barulhentas pode fazer com o que o consumidor desista de comprar novamente no local”, disse.

“Vamos fazer, junto com as instituições ligadas ao comércio, uma grande campanha educacional, já que estamos falando de saúde pública e de perturbação do sossego e do trabalho”, explicou.

Para o presidente da Aciap-VR, Luiz Fernando Cardoso, “essa é uma das boas ideias que serão acatadas pelos comerciantes, mesmo porque não é um bom negócio associar a sua marca ao barulho”, afirmou ele.

A prefeitura está organizando um segundo encontro para o início do próximo ano. A ideia, desta vez, é reunir os representantes das três entidades ao mesmo tempo para reforçar as demandas comuns, trocar experiência e ouvir sugestões e debater soluções.

 

Foto: Divulgação/PMVR