Absorventes higiênicos serão distribuídos para mulheres e meninas em situação de vulnerabilidade para acabar com "pobreza menstrual"

A Prefeitura de Volta Redonda, através da Secretaria Municipal de Ação Comunitária (Smac), vai abrir mais uma Fábrica de Fraldas na cidade. A previsão é que a nova unidade, que ficará no bairro Voldac, comece a funcionar no mês de março ou abril. A grande novidade é que no local serão produzidos também absorventes menstruais, além das fraldas geriátricas.

De acordo com o secretário municipal de Ação Comunitária, Munir Francisco, uma parceria entre as secretarias de Educação e de Políticas para Mulheres, Idosos e Direitos Humanos (Smidh) vai promover um levantamento da demanda de absorventes entre famílias carentes do município. Um dos focos principais será combater a chamada “pobreza menstrual”, que entre outras coisas causa a evasão escolar de meninas que não possuem condições de comprar absorventes. Munir ressalta que, a partir daí, o próximo passo é “arregaçar as mangas” e garantir mais dignidade para meninas e mulheres de Volta Redonda.

“A menstruação é um processo natural da vida das mulheres e não deve ser motivo de vergonha ou impedimento para realizar qualquer atividade. Porém, por vulnerabilidade econômica, muitas meninas e mulheres passam dificuldade para comprar o item de higiene pessoal. Por muitas vezes, meninas deixaram de ir à escola durante o período menstrual, causando prejuízos para seu processo educativo. Queremos acabar com isso em Volta Redonda”, disse o secretário.

Fraldas geriátricas

Com a nova unidade, será possível também aumentar em 100% a produção de fraldas geriátricas, que serão doados para Instituições de Longa Permanência e para os programas assistenciais do município, além de atender a rede municipal de saúde. Atualmente, Volta Redonda conta com uma fábrica de fraldas, com capacidade de produzir 500 fraldas geriátricas e mil infantis.

A unidade ficou fechada por um longo tempo, até ser reaberta na atual administração. Os primeiros beneficiados com as fraldas produzidas na fábrica foram os abrigados do Lar dos Velhinhos (LVVR), da Legião da Boa Vontade, bem como da Instituição de Longa Permanência para Idosos João Miguel da Silva, conhecido como Asilo Dom Bosco, cuja maioria faz o uso permanente dessas fraldas.

A Câmara Municipal apresentou no ano passado um Projeto de Lei, do vereador Paulo Roberto Costa Docca, o Paulinho AP, que dispõe sobre o fornecimento de absorventes higiênicos nas escolas publicas de Volta Redonda. Com a abertura da nova fábrica, o projeto, que foi sancionado pelo prefeito Antônio Francisco Neto, tem tudo para sair do papel.

 

Foto: Geraldo Gonçalves/Secom PMVR