Volta Redonda da mais um passo na construção do Plano Diretor 

Audiência pública ocorreu neste sábado, dia 01, na Câmara de Vereadores 

 

A elaboração de mais uma etapa do Plano Diretor de Volta Redonda foi amplamente debatida neste sábado, dia 01, na Câmara de Vereadores, no bairro Aterrado. Aberto a toda população, o evento apresentou propostas técnicas do IPPU (Instituto de Pesquisa e Planejamento Urbano) para um novo Plano Diretor. O presidente do IPPU, Márcio Lins, destacou a importância em se apresentar um diagnostico técnico e principalmente as estratégias que serão propostas através das opiniões colhidas da população  

 

“Foi realizado um trabalho para que esse material fosse hoje apresentado a população. Já com as propostas montadas. Os técnicos do IPPU ouviram os moradores. A criação de soluções para melhorar a mobilidade urbana, por exemplo, foram muito citadas. Incluindo também incluindo a revisão das leis para o zoneamento, parcelamento e edificações”, enfatizou.  

Para Fátima Martins, presidente da Federação das Associações de Moradores de Volta Redonda, o Plano Diretor vai criar ferramentas para a organização da cidade.  

“É muito importante discutir o Plano Diretor com a população. Pois, ele vai criar formas de organizar Volta Redonda. Já foram feitas muitas discursões e algumas coisas relevantes ainda não estavam sendo colocadas em pauta. E através deste plano vamos ter uma cidade organizada, através da participação de toda a sociedade. Construir de forma igualitária uma cidade melhor para todos. Parabéns ao prefeito e a todos envolvidos por esses avanços”, disse.  

Durante a audiência pública os presentes puderam opinar sobre o projeto proposto e as sugestões serão avaliadas pela equipe do IPPU. Com base neste material, as leis serão montadas e apresentadas em uma nova audiência pública, prevista para o mês de outubro. O objetivo é entregar o Plano Diretor Participativo pronto para votação na Câmara de Vereadores, que deve aprovar as leis, até o final de 2018.  

De acordo com o presidente do IPPU, Márcio Lins, uma das grandes constatações a serem discutidas é a questão da mobilidade urbana em Volta Redonda 

“Dentre vários diagnósticos esse foi um dos que mais chamou a atenção. Desta forma apresentamos para a população a questão do adensamento da cidade em torno dos corredores de transporte. Com isso diminui os trajetos médios das pessoas melhorando a qualidade de vida das pessoas. E não existia essa ideia no outro Plano Diretor que está sendo introduzido deste plano de agora”, contou.   

 

 

O prefeito Samuca Silva, enfatizou que o Plano Diretor foi criado de forma democrática. “Todos os temas apontados e analisados pelo IPPU podem influenciar o cotidiano das pessoas. Por isso é importante que todos tomem conhecimento e façam parte ativamente da discussão e criação do Plano Diretor. O documento está sendo elaborado democraticamente ouvindo a opinião da população”, disse 

 

Outras leis que regem os três principais eixos do Plano Diretor como: zoneamento, parcelamento e edificações, também tiveram propostas apresentadas pelo IPPU.  O presidente Márcio Lins explicou que o zoneamento define onde estarão áreas com vocação comercial ou residencial, áreas verdes e rurais.  

“O parcelamento trata da divisão de terras em lotes, definindo regras para tornar uma área não habitada em habitada. E o eixo das edificações contém padrões para construções de acordo com o local que está dentro do município”, falou.  

 Por Maria Clara Sales com foto Evandro Freitas